Saiba quem tem direito ao cheque-dentista

A saúde oral é essencial para uma boca e um sistema digestivo mais saudável, mas também, para uma melhor qualidade de vida ao longo da vida. A prevenção e o tratamento de doenças orais, realizadas em consultórios de medicina dentária, devem assim ser feitas com periodicidade frequente, de modo a manter os dentes e as gengivas saudáveis. No entanto, nem todas as pessoas têm possibilidade de aceder a estes cuidados, devido ao seu custo. E tendo em conta que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não oferece a resposta necessária neste campo, surgiram os cheques-dentista. Saiba mais sobre como ter acesso e quem tem direito ao cheque-dentista.

O que é um cheque-dentista?
O cheque-dentista é um documento que dá acesso a vários cuidados de prevenção, diagnóstico e tratamento, na área da medicina dentária. O cheque-dentista é assim uma forma de aceder aos cuidados básicos de saúde oral, sem ter de pagar nada, sendo especialmente direcionado para alguns grupos mais desfavorecidos ou em risco. Este programa, denominado de Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNPSO), tem por objetivo avaliar e reduzir a incidência e prevalência das doenças da boca.

Quem tem direito ao cheque-dentista?
O PNPSO definiu quatro grupos que podem aceder ao cheque-dentista. Estes incluem as mulheres grávidas, as crianças e jovens, os idosos e doentes com a infeção HIV (SIDA). Para ter acesso a cheque-dentista, cada grupo tem critérios específicos a serem cumpridos.

Assim, no caso dos idosos, apenas aqueles que beneficiam do complemento solidário para idosos, utentes do Serviço Nacional de Saúde, poderão ser indicados pelo médico de família. A referenciação para consultas de medicina dentária apenas ocorre com base em critérios clínicos. Já no caso das mulheres grávidas, todas têm acesso, desde de que estejam a ser seguidas no Serviço Nacional de Saúde.

No que diz respeito ao grupo de crianças e jovens, com idade inferior a 16 anos, é realizada uma triagem nas escolas, por higienistas orais das unidades funcionais de cada área. Por fim, os doentes infetados com SIDA, são indicados pelo seu médico de família.

Após a primeira consulta com um médico dentista, outros cheques-dentista podem ser emitidos. No entanto, a emissão depende da necessidade de mais tratamentos, definidos e fundamentados no plano terapêutico traçado pelo médico dentista. Caso esteja dentro de um destes grupos e pretenda usufruir do cheque-dentista, tem apenas de dirigir-se ao centro de saúde e consultar o seu médico de família. Depois de emitido, o cheque-dentista é enviado para a sua morada, ou poderá levantá-lo na unidade funcional ou no balcão do centro de saúde, consoante o que combinar no momento do pedido.

A escolha do médico dentista / estomatologista
Existe uma lista nacional de médicos dentistas e médicos estomatologistas aderentes, tendo a liberdade de escolher o que preferir. Esta lista encontra-se disponível no site www.saudeoral.min-saude.pt, ou nas unidades funcionais de cada área. No entanto, é importante referir que, após a escolha de um determinado médico, já não poderá alterar a sua decisão, tendo de manter o mesmo médico.

Seguro Dentário – Saiba tudo antes de escolher

Os elevados custos associados aos tratamentos dentários, na sua maioria não contemplados pelos seguros de saúde normais, nem pelo Serviço Nacional de Saúde, tornam o seguro dentário um serviço a suscitar cada vez maior interesse.

O seguro dentário foi criado pela necessidade de garantir a melhor proteção dentária para os segurados, possibilitando o acesso a cuidados de saúde oral a custos reduzidos, independentemente da sua capacidade financeira ou da idade.

Pensar na sua saúde também é pensar na sua higiene oral. A maior parte dos tratamentos são comparticipados e este pode ser um seguro muito importante para quem necessita de tratamentos onorosos, como os implantes. É também vantajoso para quem tem filhos.

As principais vantagens do seguro dentário são os seguintes:

– a apólice não requer o preenchimento de qualquer questionário ou exame físico;

– não existe limite de idade para a subscrição;

– utilização imediata, logo após o pagamento do prémio, ou seja, sem período de carência;

– sem limites de utilização;

– gratuito para as crianças até uma certa idade;

– renovação do seguro pelo tempo que o tomador desejar;

– benefícios fiscais de acordo com a legislação em vigor.

Para que possa usufruir o melhor seguro dentário, deve pesquisar os preços e compará-los para descobrir a melhor opção para o seu caso. As seguradoras dispõem informações detalhadas sobre os planos de seguro e tabelas de copagamentos. É aconselhável que faça previamente um check-up à sua saúde oral, de modo a ter uma noção do quanto terá que gastar no tratamento dos seus dentes ao longo do ano.

Depois desta verificação, procure uma seguradora que lhe ofereça as coberturas que vão de encontro às suas necessidades. A partir desse momento, será seguido por profissionais qualificados que cuidarão da sua saúde oral. Se até agora não deu o melhor tratamento à sua saúde dentária, pense e dê a oportunidade a si próprio de ter um seguro dentário.

Faça várias simulações, vá a um dentista de confiança e exija sempre um orçamento prévio para evitar surpresas. Em caso de dúvidas, não hesite em pedir uma segunda opinião.

Geralmente, as seguradoras dispõe da uma rede alargada de prestadores. Isso pode ser importante para si, na medida em que pode ser a diferença entre continuar com o mesmo dentista ou frequentar uma clínica dentária ao pé de casa ou do local de trabalho, ou uma outra que fica a alguns quilómetros de distância. Em alguns casos há falhas de coberturas nas zonas com menos população.

Na hora de comparar os valores, tenha em atenção não só os prémios, mas também a tabela de co-pagamentos de cada seguro dentário. Pode compensar pagar mais uns euros de prémio, se depois os copagamentos forem francamente inferiores em comparação com outro produto.

Atualmente, é possível contratar um seguro dentário por cerca de 10 euros mensais. O cliente terá acesso a tratamentos dentários a preços reduzidos, numa rede de clínicas acordadas com a seguradora. Por cada tratamento, o segurado paga o valor anunciado na tabela de copagamentos, sendo que consultas de rotina e tratamentos preventivos são gratuitas com algumas companhias de seguros.

No mercado existe uma grande oferta de seguros de estomatologia. Não existe companhia de seguros que não tenha o seu produto no segmento dos seguros dentários, com mais ou menos coberturas, mais baratos ou mais caros, com copagamentos menores ou mais elevados, com redes de prestadores mais limitativas ou alargadas.

Na hora de escolher, faça um apanhado dos tratamentos que precisará de fazer. Pesquise quanto é que pagará nas redes que servem a região, somando o prémio do seguro, e se a seguradora contempla pacotes de família, para incluir mais pessoas do seu agregado familiar. Escolha a apólice com maior poupança global para si. Algumas companhias não cobram por integrar crianças, veja se é o caso da seguradora que vai escolher.