Como transformar uma paixão num negócio

Quantas pessoas podem dizer que adoram o que fazem? Muitos trabalham apenas para ter o dinheiro no final do mês, não retirando grande satisfação da sua atividade. E se pudesse transformar a sua paixão num negócio e viver desse rendimento? Seria fantástico, não concorda? Se tem uma paixão que gostaria de ver transformado num negócio, então conheça os passos que deve dar para o conseguir.

OS PASSOS QUE DEVE DAR PARA INICIAR UM NEGÓCIO PRÓPRIO

Antes de mais, por mais paixão que tenha por uma determinada atividade, é preciso conhecer bem todos os passos necessários para iniciar e manter um negócio próprio. De seguida poderá conhecer os vários passos essenciais para ter sucesso em transformar a sua paixão num negócio.

1 – Informar-se bem
Ninguém nasce ensinado, por isso não se preocupe se ainda se sente um pouco perdido na preparação do início do seu negócio. Não há nada como se informar e perguntar o que necessita de saber. Existe hoje muita informação disponível, bem como locais próprios de apoio ao empreendedor. Além disso, pode e deve usar a sua rede de contactos para ter acesso a pessoas familiarizadas com a área empresarial, aos quais pode pedir conselhos e orientação. Na maioria das vezes, as dicas recebidas de pessoas realmente no terreno são muito valiosas, com resultados concretos no seu sucesso.

2 – Planeamento
Não basta ter muita paixão e querer. É necessário planear bem como irá iniciar a sua empresa. A sua estrutura, como abordar o nicho de mercado, a produção (caso haja fabrico de um determinado produto), a angariação e construção de uma base de clientes, etc. Tudo isso deve ser pensado antes de levar avante o seu projeto. Planeie tudo com cuidado e atenção, para que a sua empresa tenha um funcionamento eficiente logo desde o início. O que não significa que não deve avaliar e reformular o que for necessário, numa base periódica.
Saiba mais sobre Como planear a criação de um negócio Aqui

3 – Definir uma estratégia
Qualquer empresa tem de ter uma visão e uma estratégia para o futuro. Não se chega ao sucesso de um dia para o outro, e como tal, para o alcançar é necessário definir uma estratégia que o ajude a lá chegar. Por isso é igualmente importante rodear-se por pessoas que tenham a mesma visão e que o ajudem a operacionalizar essa estratégia.

4 – Gestão de expetativas
Ter um negócio não é algo fácil. Na realidade, a maioria das pessoas prefere a segurança de um salário. É importante saber gerir expetativas pois a única segurança que existe é a qualidade do seu trabalho e da sua empresa. Emocionalmente há dias melhores e dias piores, pois haverá meses mais positivos que outros. Além disso, na grande maioria das empresas, a contabilidade apenas se torna lucrativa ao fim de 1 a 2 anos. Mas a vantagem de transformar a paixão num negócio é que estará a fazer algo que adora, o que irá ajudar imenso, seja a nível motivacional, seja a nível da qualidade do serviço ou produto que oferece.

Como planear a criação de um negócio

Antes da criação de um negócio deve planeá-la durante um período, para não sermos levados pela precipitação. Deve-se empreender por oportunidade e não por necessidade.

Como a pressão é muitas vezes inimiga da perfeição, o ideal será implementar as ideias depois de as amadurecer. Assim, o plano passará por encontrar uma atividade de negócio com que nos identifiquemos e que possa ser rentável.

São mais do que muitos os negócios e os sectores, que pode investir, basta pensar num processo de produção qualquer e descortinar as possíveis oportunidades, por exemplo: para produzir um simples pacote de sumo, precisamos de máquinas para a produção e embalagens de cartão, para agrupar mais tarde num caixote e entregá-los aos pontos de venda. Sem falar em frutas nem nas atividades empresariais comuns, temos neste caso várias oportunidades de negócio:

– Transporte de produtos;
– Fornecimento de Matérias-primas;
– Manutenção de máquinas;
– Design de embalagens;
– Publicidade dos produtos;

No que diz respeito ao capital necessário para criar um negócio, depende sobretudo do que se pretende fazer, se com cerca de 5000€ se pode dar vida a um pequeno negócio, para instalar uma empresa com dimensão pode custar algumas dezenas de milhares de euros.

O retorno do investimento é suportado pelo grau de facilidade em gerar resultados. Por um lado, existem negócios onde se pode faturar logo desde os primeiros tempos, através da prestação de serviços, por outro, há negócios em que a produção industrial leva muito mais tempo. Por exemplo: abrir uma empresa de limpezas é bastante diferente de criar um negócio do ramo agrícola (ex: árvores de frutas), só o tempo que as árvores demoram a crescer leva alguns anos.

Modelos de negócio
Existem várias possibilidades para desenvolver um negócio empresarial, que são nomeadamente: franchising, join ventures, criação da própria marca, ou até mesmo em parceria com outros empresários ou de forma cooperativa. Todos estes modelos possuem vantagens e desvantagens que requerem uma análise cuidada na hora de tomar uma decisão definitiva.

Modelos de distribuição
Existem várias formas possíveis de comercialização de produtos, isto é, fazer chegar ao cliente final: loja, catálogos, loja online, por telefone, através de correio. Comercializar produtos na internet ou por telefone reduzem custos operacionais, desde logo, não tem que pagar a renda de estabelecimento comercial.

Segmentos do mercado
Há três grandes segmentos de mercados, B2B para as empresas; B2C para o cliente particular; B2A para o Estado. Cada um tem as suas especificidades, com pontos a favor e pontos contra. Se para uns é possível vender e receber na hora, para outros é necessário elaborar orçamentos.
Três questões fundamentais:
– Quem é o público-alvo;
– Quais as suas necessidades;
– Preço que estão dispostos a pagar;

Saiba também como criar uma Sociedade Unipessoal por Quotas em 7 passos