As 10 cidades mais desenvolvidas tecnologicamente do mundo

10. Bangalore, Índia
Bangalore é considerada o principal centro tecnológico da Índia, ao ter mais Tecnologias da Informação (TI) e empresas tecnológicas a investir e a estabelecerem-se na cidade. O país em si oferece internet de alta qualidade e boas infraestruturas.

10

9. Estocolmo, Suécia
Estocolmo, na Suécia, é considerada a cidade mais avançada tecnologicamente em toda a Europa. Quase todas as instituições, estabelecimentos e casas são computorizadas.

9

8. Hong Kong, China
Sendo um dos maiores centros financeiros da Ásia, Hong Kong é também conhecido como uma das cidades mais avançadas em termos tecnológicos do mundo, onde todos os edifícios usam tecnologias avançadas que ainda estão a ser introduzidas no resto do mundo. Tem uma das internets mais rápidas na Ásia.

8

7. São Francisco, EUA
São Francisco tem sido a casa das companhias de tecnologia desde a revolução da internet nos anos 90. A cidade desfruta da internet mais avançada em termos de velocidade e de inúmeras infraestruturas tecnológicas físicas e digitais.

7

6. Nova Iorque, EUA
Sendo uma das cidades mais famosas do mundo, Nova Iorque tem um sistema metropolitano capaz de rivalizar com os de qualquer outra cidade, tendo conexões a todos os lugares. A cidade tem também uma grande concentração de companhias de tecnologia e startups.

6

5. Taipei, Taiwan
Nos últimos anos, Taipei tem sido uma das cidades que mais evoluiu em termos de desenvolvimento tecnológico. Lá encontras internet rápida, com velocidades que ultrapassam na média 1GB.

5

4. Seoul, Coreia do Sul
Seoul, a capital da Coréia do Sul, é o motor da economia coreana, tendo a maioria da população a trabalhar em empresas de alta tecnologia. A cidade de Seoul é também a sede de marcas famosas como Samsung e Hyundai.

4

3. Singapura, Singapura
Todas as infraestruturas e casas suportam a tecnologia da última geração. Lojas são conetadas digitalmente e a cidade tem as infraestruturas e arquiteturas mais avançadas do mundo.

3

2. Silicon Valley, EUA
Desde o início da era das tecnologias da Informação, que o Silicon Valley tem sido associado como um dos maiores centros tecnológicos do mundo. É onde se encontram muitas das maiores empresas de tecnologia, tais como Apple, Intel, Facebook, eBay, entre outras.

2

1. Tóquio, Japão
Tóquio, capital do Japão, é a cidade mais desenvolvida tecnologicamente do mundo. Existe uma grande variedade de produtos tecnológicos ainda desconhecidos em outros países, desde o sistema do comboio mais rápido do mundo, a robótica. Se estiveres à procura de uma cidade futurista, Tóquio é certamente uma excelente escolha.

1

Poupe na carteira escolhendo frutos e legumes da época

Uma das regras básicas para poupar no supermercado é escolher frutas e legumes da época. Os alimentos de época, especialmente os regionais ou nacionais, não estão sujeitos a conservações e grandes viagens, tornando os produtos mais baratos, e ao mesmo tempo, mais saudáveis. Ou seja, além de poupar na carteira, os frutos e legumes da época são mais nutritivos e naturalmente mais saborosos. As vantagens são óbvias, sendo uma questão de tornar a opção por produtos da época um hábito. Se não conhece quais os alimentos de cada época, poderá ficar a saber na nossa lista mensal. Descubra de seguida os alimentos de cada mês do ano.

LISTA DE FRUTAS E LEGUMES

Janeiro
Legumes: acelga, alho francês, batata, cebola, cenoura, chalota, beterraba, chicória, couve-de-bruxelas, couves, espinafre e nabo.
Frutas: clementina, laranja, limão, maçã, marmelo, pera, romã, tangerina e toranja.

Fevereiro
Legumes: acelga, alho francês, agrião, batata, cebola, cenoura, chalota, beterraba, chicória, couve-de-bruxelas, couves, espinafre e nabo.
Frutas: clementina, laranja, limão, maçã, marmelo, pera, tangerina e toranja.

Março
Legumes: acelga, alho francês, agrião, batata, cebola, cebolinho, cenoura, chalota, beterraba, chicória, brócolos, couve-de-bruxelas, pepino, couves, grelos, espinafre e nabo.
Frutas: clementina, laranja, limão, pera, tangerina, toranja e morangos.

Abril
Legumes: acelga, alho francês, agrião, batata, cebola, cebolinho, cenoura, chalota, chicória, brócolos, pepino, couves, grelos, espinafre, alface e rabanete.
Frutas: morangos, limão, laranjas, ameixas, cerejas, maçã e nêsperas.

Maio
Legumes: agrião, batata, cebola, brócolos, pepino, grelos, espinafre, alface, rúcula, espargos e rabanete.
Frutas: morangos, limão, laranjas, pêssegos, ameixas, cerejas, alperce, maçã e nêsperas.

Junho
Legumes: aipo, courgettes, ervilhas, cenouras, batata, cebola, pimentos, pepino, grelos, espinafre, alface, rúcula, espargos e rabanete.
Frutas: morangos, limão, laranjas, pêssegos, ameixas, figos, cerejas, alperce, maçã, melancia e nêsperas.

Julho
Legumes: aipo, alcachofra, alho francês, chalota, tomate, favas, feijão-verde, courgettes, ervilhas, cenouras, batata, cebola, pimento, pepino, espinafre, alface, rúcula, espargos e rabanete.
Frutas: morangos, limão, laranjas, pêssegos, ameixas, figos, cerejas, melão, framboesas, alperce, maçã, melancia e nêsperas.

Agosto
Legumes: aipo, alcachofra, alho francês, chalota, tomate, favas, feijão-verde, courgettes, ervilhas, cenouras, batata, cebola, pepino, espinafre, alface, rúcula, pimento, espargos e rabanete.
Frutas: morangos, limão, laranjas, pêssegos, ameixas, amora, groselha, figos, cerejas, melão, framboesas, alperce, mirtilo, maçã, melancia e nêsperas.

Setembro
Legumes: aipo, beterraba, alcachofra, alho francês, chalota, favas, feijão-verde, courgettes, ervilhas, cenouras, batata, tomate, cebola, abóbora, milho, pepino, espinafre, alface, rúcula, espargos, rabanete e pimento.
Frutas: limão, laranjas, damasco, romã, pêssegos, ameixas, amora, groselha, figos, melão, framboesas, alperce, uvas, clementinas, mirtilo, maçã, melancia e nêsperas.

Outubro
Legumes: beterraba, couves, agrião, alho francês, chalota, favas, feijão-verde, courgettes, ervilhas, cenouras, batata, cebola, abóbora, milho, pepino, espinafre, alface, rúcula, rabanete e pimento.
Frutas: limão, laranjas, damasco, romã, pêssegos, framboesas, uvas, clementinas, maçã e marmelo.

Novembro
Legumes: beterraba, couves, couve-de-bruxelas, chicória, brócolos, agrião, alho francês, chalota, courgettes, cenouras, batata, cebola, abóbora, espinafre e alface.
Frutas: limão, laranja, damasco, romã, pêssego, toranja, uva, clementina, maçã e marmelo.

Dezembro
Legumes: alho francês, batata, chalota, beterraba, alcachofra, brócolos, agrião, chicória, couve-de-bruxelas, couves, espinafre e nabo.
Frutas: limão, laranja, damasco, romã, pêssego, toranja, uva, clementina, maçã e marmelo.

As cidades mundiais com maior concentração de bilionários

Existem bilionários pelo mundo fora, mas eles preferem viver em determinadas cidades do mundo. Integra a lista dos bilionários quem tem fortunas acumuladas superiores a mil milhões de dólares (cerca de 908,5 milhões de euros). Confira abaixo a lista das cidades mundiais onde mais bilionários vivem, segundo a revista Forbes.

Lista das cidades com mais bilionários do mundo

1. Nova Iorque (EUA) – 79 bilionários, 364600 milhões de dólares de riqueza combinada;
2. Hong Kong (China) – 68 bilionários, 261300 milhões de dólares de riqueza combinada;
3. Moscovo (Rússia) – 60 bilionários, 217600 milhões de dólares de riqueza combinada;
4. Beijing (China) – 51 bilionários, 149900 milhões de dólares de riqueza combinada;
5. Londres (RU) – 48 bilionários, 187700 milhões de dólares de riqueza combinada;
6. Mumbai (Índia) – 32 bilionários, 115100 milhões de dólares de riqueza combinada;
7. Shanghai (China) – 31 bilionários, 66100 milhões de dólares de riqueza combinada;
8. Shenzhen (China) – 30 bilionários, 78000 milhões de dólares de riqueza combinada;
8. Seul (Rep. Coreia) – 30 bilionários, 73900 milhões de dólares de riqueza combinada;
9. San Francisco (EUA) – 28 bilionários, 74500 milhões de dólares de riqueza combinada;
10. Istambul (Turquia) – 26 bilionários, 39000 milhões de dólares de riqueza combinada;
11. Paris (França) – 22 bilionários, 147900 milhões de dólares de riqueza combinada;
12. Singapura (Singapura) – 21 bilionários, 54500 milhões de dólares de riqueza combinada;
13. Taipei (Taiwan) – 20 bilionários, 42400 milhões de dólares de riqueza combinada;
13. Los Angeles (EUA) – 20 bilionários, 70700 milhões de dólares de riqueza combinada;
14. Tóquio (Japão) – 18 bilionários, 62300 milhões de dólares de riqueza combinada;
15. Hangzhou (China) – 17 bilionários, 60800 milhões de dólares de riqueza combinada;
16. Dallas (EUA) – 16 bilionários, 51000 milhões de dólares de riqueza combinada;
16. Guangzhou (China) – 16 bilionários, 38800 milhões de dólares de riqueza combinada;
17. Milão (Itália) – 15 bilionários, 59200 milhões de dólares de riqueza combinada;
18. São Paulo (Brasil) – 14 bilionários 54100 milhões de dólares de riqueza combinada;
18. Nova Deli (Índia) – 14 bilionários, 47200 milhões de dólares de riqueza combinada;
18. Bangkok (Tailândia) – 14 bilionários, 42200 milhões de dólares de riqueza combinada;
18. Dubai (EAU) – 14 bilionários, 37000 milhões de dólares de riqueza combinada;
19. Genebra (Suíça) – 13 bilionários, 124900 milhões de dólares de riqueza combinada;
19. Chicago (EUA) – 13 bilionários, 41500 milhões de dólares de riqueza combinada;

Dicas para guardar dinheiro durante a viagem

Uma das maiores preocupações das pessoas na hora de viajar é onde guardar o dinheiro. Mesmo com as facilidades dos cartões de débito e crédito, há quem prefira viajar com dinheiro físico.
Existem diversas formas de como levar e guardar dinheiro em viagens, cada um com as suas vantagens e desvantagens.

Deve levar na carteira somente as coisas necessárias para a viagem, sobretudo quando se tratam de viagens para o estrangeiro. Isto é, deve levar na carteira apenas os documentos e o dinheiro necessários para a viagem. Também pode tirar cópias em vez de levar os documentos originais.

Dê preferência ao uso de cartões, em vez de estar a transportar grandes montantes de dinheiro. Se tiver cartão de débito Visa ou Mastercard pode levantar dinheiro em caixas multibanco credíveis. O essencial é não transportar muito dinheiro de mão e ter um plano alternativo, assim que o primeiro acabar. Também pode levar um cartão de crédito, porque dá jeito para fazer grandes compras.

Conheça abaixo algumas dicas de como guardar dinheiro em viagem:
Guardar nos bolsos – Os bolsos são os sítios mais utilizados para guardar dinheiro em viagem, mas também são os mais procurados pelos carteiristas. Utilize roupa com bolsos de fecho para maior precaução, e é também preciso que se mantenha atento, nomeadamente, no meio das multidões, como nos transportes.

Guardar nas malas – Se a sua opção for guardar dinheiro e outros valores nas malas, mantenha-se sempre de olho e em contacto com as suas malas, porque estas podem ser desviadas num abrir e fechar de olhos.

Guardar no cofre do hotel – Deixar o dinheiro fechado no cofre do hotel, levando somente algum dinheiro consigo durante o dia. Neste caso, deve confirmar primeiro de que o cofre é seguro, antes de depositar os seus valores nele.

Divisão do dinheiro – Divida o dinheiro por diferentes sítios ou pelas pessoas que viajam consigo. Assim, tem sempre outro disponível, caso algum dinheiro se perca.

Seja mais discreto – Para fazer pagamentos frequentes, tenha uma parte do dinheiro trocado à mão, e outra parte melhor guardado na roupa ou na mala, evitando assim recorrer ao seu esconderijo secreto, caso contrário toda a gente fica a saber onde o dinheiro está guardado.

Saiba quem tem direito ao cheque-dentista

A saúde oral é essencial para uma boca e um sistema digestivo mais saudável, mas também, para uma melhor qualidade de vida ao longo da vida. A prevenção e o tratamento de doenças orais, realizadas em consultórios de medicina dentária, devem assim ser feitas com periodicidade frequente, de modo a manter os dentes e as gengivas saudáveis. No entanto, nem todas as pessoas têm possibilidade de aceder a estes cuidados, devido ao seu custo. E tendo em conta que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não oferece a resposta necessária neste campo, surgiram os cheques-dentista. Saiba mais sobre como ter acesso e quem tem direito ao cheque-dentista.

O que é um cheque-dentista?
O cheque-dentista é um documento que dá acesso a vários cuidados de prevenção, diagnóstico e tratamento, na área da medicina dentária. O cheque-dentista é assim uma forma de aceder aos cuidados básicos de saúde oral, sem ter de pagar nada, sendo especialmente direcionado para alguns grupos mais desfavorecidos ou em risco. Este programa, denominado de Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNPSO), tem por objetivo avaliar e reduzir a incidência e prevalência das doenças da boca.

Quem tem direito ao cheque-dentista?
O PNPSO definiu quatro grupos que podem aceder ao cheque-dentista. Estes incluem as mulheres grávidas, as crianças e jovens, os idosos e doentes com a infeção HIV (SIDA). Para ter acesso a cheque-dentista, cada grupo tem critérios específicos a serem cumpridos.

Assim, no caso dos idosos, apenas aqueles que beneficiam do complemento solidário para idosos, utentes do Serviço Nacional de Saúde, poderão ser indicados pelo médico de família. A referenciação para consultas de medicina dentária apenas ocorre com base em critérios clínicos. Já no caso das mulheres grávidas, todas têm acesso, desde de que estejam a ser seguidas no Serviço Nacional de Saúde.

No que diz respeito ao grupo de crianças e jovens, com idade inferior a 16 anos, é realizada uma triagem nas escolas, por higienistas orais das unidades funcionais de cada área. Por fim, os doentes infetados com SIDA, são indicados pelo seu médico de família.

Após a primeira consulta com um médico dentista, outros cheques-dentista podem ser emitidos. No entanto, a emissão depende da necessidade de mais tratamentos, definidos e fundamentados no plano terapêutico traçado pelo médico dentista. Caso esteja dentro de um destes grupos e pretenda usufruir do cheque-dentista, tem apenas de dirigir-se ao centro de saúde e consultar o seu médico de família. Depois de emitido, o cheque-dentista é enviado para a sua morada, ou poderá levantá-lo na unidade funcional ou no balcão do centro de saúde, consoante o que combinar no momento do pedido.

A escolha do médico dentista / estomatologista
Existe uma lista nacional de médicos dentistas e médicos estomatologistas aderentes, tendo a liberdade de escolher o que preferir. Esta lista encontra-se disponível no site www.saudeoral.min-saude.pt, ou nas unidades funcionais de cada área. No entanto, é importante referir que, após a escolha de um determinado médico, já não poderá alterar a sua decisão, tendo de manter o mesmo médico.