Investir em vinhos – Como garantir um excelente retorno

Tudo o que é raro e possui procura pode ser um investimento lucrativo. O vinho é um desses produtos, a par de outras alternativas financeiras, mas praticamente sem risco. Atualmente, você pode contar com a Vino Invest para aconselhamento e oferta de retornos lucrativos. Com a sede em Londres, a Vino Invest acaba de iniciar operações em Portugal, e torna-se a única empresa de consultoria de investimento em vinho de alta qualidade no país e com a supervisão da CMVM.

O conceito é simples e dirige-se a qualquer perfil de investidor, mas implica um investimento mínimo de cinco mil euros, por um período de cinco anos, já o retorno é bastante atrativo, 15% ao ano em média. Esta opção de investimento é dirigida à todos investidores particulares, ou clientes institucionais, que pretendem diversificar o seu portefólio de aplicações.

No entanto, este tipo de investimento tem de obedecer a alguns critérios. Os vinhos são sempre de produção limitada, das regiões de Bordéus e Borgonha, com uma elevada classificação pelos mais conceituados críticos de vinho, como Robert Parker. A elevada procura global, os registos históricos, quer a nível de retorno financeiro, quer a nível de produção de vinhos de excelência, são fatores essenciais na seleção dos vinhos. Realizam-se ainda várias análises financeiras do mercado, quer em termos quantitativas, quer qualitativas, com o objetivo de identificar as tendências e as oportunidades de compra e venda.

De acordo com os dados da plataforma Liv-ex, os retornos associados aos investimentos em vinho de alta qualidade superaram os principais índices financeiros das últimas três décadas e, a Taxa Composta de Crescimento Anual entre 1991 e 2011 demonstra que este tipo de produto superou também as rentabilidades verificadas em petróleo e em ouro.

Uma das vantagens de investir em vinhos de alta qualidade, é o facto deste mercado ser global e mais seguro do que o mercado acionista. Além disso, a procura por vinhos franceses de topo é crescente e superior à oferta. Quanto maior for a procura, por parte de investidores e consumidores, aliada à maturidade de um vinho, maior é o seu valor, por isso, à medida que os anos passam, torna-se mais valioso.

No que diz respeito ao processo do investimento, inicia-se com uma análise do perfil e dos objetivos de cada cliente. Tendo em conta que cada investidor tem um perfil de risco próprio – pode ser conservador, moderado ou arriscado – cabe à Vino Invest aconselhar quais as melhores soluções de investimento e fazer uma proposta inicial do portefólio, montante de investimento, o tempo de maturidade para a aplicação, a partir do mínimo de cinco anos, de acordo com os objetivos pretendidos.

Depois de emitir o contrato de investimento, a Vino Invest vai comprar o vinho em nome do cliente e este é armazenado na Octavian ou na London City Bond, dois dos principais entrepostos aduaneiros no Reino Unido. No prazo máximo de 60 dias, o vinho é guardado em nome do cliente. Cada caixa é fisicamente etiquetada com o nome do proprietário, sendo emitido um número de rotação único, que identifica a caixa como propriedade do cliente.

Pelo serviço de armazenamento e seguros do vinho, é exigido uma comissão mínima anual. Isso significa que todos os vinhos armazenados na Octavian e na London City Bond, estão automaticamente segurados contra todos os riscos, no valor total da sua substituição e sem limite.

É importante salientar que o cliente nunca está a investir na empresa Vino Invest, mas sim, a comprar um produto físico de luxo diretamente exposto ao mercado mundial e sobre o qual tem total controlo, porque é o único dono legal e só ele pode ter acesso físico ao vinho.

A avaliação financeira do portfólio é feita diariamente, com base na plataforma independente Liv-ex, e o cliente pode acompanhar a valorização do vinho no site da empresa e através de informações semanais que lhe são enviadas. Para resgatar, o investidor basta emitir uma ordem de transferência da sua conta pessoal para a conta da Vino Invest, que por sua vez, vende o vinho em nome do cliente e transfere o dinheiro.

Há ainda outras caraterísticas de uma aplicação em vinho de alta qualidade, que a tornam uma opção bastante vantajosa, em matéria de investimento. Em primeiro lugar, trata-se de um bem físico e real que, ao contrário das ações ou títulos, terá sempre um valor intrínseco. Depois, o investidor não precisará de pagar IVA, nem as taxas de importação, pelo facto dos vinhos estarem armazenados em entrepostos aduaneiros no Reino Unido.

Comentários

comments

Publicado por

Kike Yin

Licenciado em Economia Profissional no sector dos Seguros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *