Mercado Imobiliário – Como garantir retornos atrativos

O mercado imobiliário português continua a constituir uma excelente opção para quem quer investir com sucesso e com segurança no retorno. De acordo com o índice do Investment Property Databank (IPD), investir em imobiliário no nosso país, ainda é mais rentável e tem um risco mais controlado do que em ações ou obrigações, especialmente se for a longo prazo.

Trata-se de um mercado que vai existir sempre procura, porque os imóveis são bens de primeira necessidade, sejam para habitação ou para desenvolver uma atividade de negócio.

Existem várias formas de obter lucro no mercado imobiliário, que podem ser as seguintes: comprar para arrendar, construir para vender/arrendar, arrendar para sub-arrendar, restaurar para vender/arrendar. Mas há alguns riscos que tem de considerar. A primeira coisa a fazer é aferir o grau de liquidez do investimento, isto é, a facilidade com que vai conseguir vender. Para isso é preciso ter conhecimentos ou pedir a opinião de quem os tem.

São muitos os fatores a considerar – a zona do imóvel é boa? Vai haver muita concorrência naquela urbanização? Qual o segmento (habitação ou lojas…)? Qual a tipologia mais procurada? Rende mais um imóvel novo ou usado? Investir não é a mesma coisa do que comprar uma casa própria. Tem também de pensar a quem vai vender.

Neste tipo de investimento, é fundamental saber identificar as diferentes oportunidades de negócio, que podem surgir em vários segmentos existentes no mercado imobiliário. Conheça estes segmentos:

HABITACIONAL
Depois da hecatombe dos anos negros da crise, quem comprou uma casa como forma de investimento pode começar a pensar em colher os frutos, pois os preços das casas já começaram a subir. E quem não comprou, ainda é uma boa altura para investir directamente em imóveis. Uma boa forma de fazer bons negócios, é adquirir casas de quem está em dificuldades financeiras, seja através de forte negociação ou dos leilões de imobiliário, que se tornaram frequentes para que os bancos possam aumentar a sua liquidez. Depois de comprar, pode restaurar as casas para arrendar. Nos arrendamentos, os fiadores e garantias nunca são demais para tentar minimizar os riscos de sofrer o incumprimento.

Pode também investir em imóveis de luxo que têm registado um elevado crescimento da procura, sobretudo devido ao Programa de visto de residência Golden Visa. Este programa concede uma Autorização de Residência aos investidores estrangeiros, na compra de um imóvel por um valor superior a 500.000 euros em Portugal.

EMPRESARIAL
No setor terciário, os empresários dos serviços necessitam de lojas e escritórios para pontos de venda e para a sede da empresa. Neste mercado existe a oportunidade de comprar edifícios para arrendar, por exemplo: negócios na área da restauração, retalho e escritórios.
Ainda de acordo com a IPD, as lojas e os centros comerciais continuam a ser os ativos com melhor rentabilidade, seguem-se os escritórios, que apesar de menos rentáveis no longo prazo apresentam um grau de risco menor do que os primeiros.

INDUSTRIAL
Em Portugal, uma das formas de apostar neste setor, é através das indústrias de valor acrescido, luxo, inovação, energias renováveis, etc… A possibilidade de reconverter os edifícios e adapta-los aos novos desafios pode trazer bons resultados. A alternativa neste mercado, seria construir armazéns para arrendar.

TERRENOS
As margens de lucro neste segmento podem ser elevadas, comprar terrenos para lotear e vender posteriormente. É perfeitamente possível, vender lotes de 500 metros quadrados por 150 000 euros. Contudo, nos dias que correm encontrar um terreno bem localizado e de grande dimensão pode ser uma miragem.

QUAIS AS VANTAGENS DE INVESTIR NO MERCADO IMOBILIÁRIO?
– Investimento seguro e retorno atrativo;
– Diversifica o portfólio de um investidor;
– Por ser um ativo tangível, pode fazer obras para valorizar o imóvel;
– É um ativo que pode gerar rendimentos constantes;
– No caso dos terrenos, pode gerar mais-valias no futuro, devido a ocupação doutros terrenos;
– Baixa volatilidade do valor do imóvel e dos rendimentos gerados.

QUAIS AS DESVANTAGENS?
– Os custos associados, como impostos sobre a propriedade;
– Regime fiscal sobre os rendimentos imobiliários pouco favorável;
– Despesas de manutenção e conservação.;
– O custo de entrada pode ser elevado;
– Se o mercado imobiliário estiver em queda, poderá ter que esperar muito tempo para obter retorno.

Comentários

comments

Publicado por

Kike Yin

Licenciado em Economia Profissional no sector dos Seguros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *