5 erros mais comuns dos investidores

Aqui apresentamos-lhe os 5 erros mais comuns que os investidores cometem e mostramos também como os evitar.

O primeiro passo quando fazemos um investimento é montar uma estratégia de investimento que devemos seguir sem nos deixarmos levar pelas emoções. É essa a forma mais segura de mantermos a calma e a confiança em períodos de instabilidade e de grande volatilidade nos mercados.

 

  1. Focar-se nos indicadores errados

Se você for um investidor de longo prazo tem que saber que os mercados funcionam por ciclos e que as correções são algo normal, mesmo as mais acentuadas. Nesse cenário, reagir demasiado depressa e fazer alterações ao seu portefólio de longo prazo por causa de indicadores de curto prazo podem levar a um desastre nos seus investimentos.

Assim, o melhor é ser fiel ao seu plano financeiro e focar-se nos objetivos que estabeleceu ao invés de reagir precipitadamente com base em indicadores errados.

 

  1. Tentar prever o mercado

Muitas pessoas investem com base no sentimento de mercado em vigor, o que pode ser prejudicial. Quando se sente o sentimento de mercado positivo, na maior parte dos casos, as oportunidades de entrar nesse investimento já passaram e as novas entradas correspondem às saídas de quem já as aproveitou. Da mesma forma, as vendas que se verificam quando o mercado está em queda correspondem às compras de quem vai aproveitar as novas oportunidades que o mercado vai proporcionar. Esta estratégia acaba por resultar num “comprar caro e vender barato”.

Adivinhar os movimentos do mercado é possível porém muito difícil, mesmo para os profissionais. Desta forma, é importante tentar manter-se no mercado alguns dias depois dos períodos de correção. É aí que estão as oportunidades!

 

  1. Reagir às notícias

As cotações das ações refletem, por antecipação, os medos e receios de eventuais notícias negativas. Os media tentam sempre sensacionalizar todas as noticias para assim conseguirem mais dinheiro. Não se deixe levar por esta (des)informação na hora de gerir a sua carteira e mantenha-se fiel à sua análise.

 

  1. Não ter paciência

O trading, tal como qualquer atividade, requer muito estudo mas não é possível para quem não tem paciência. É necessário tempo para “deixar os ganhos correr”, ou seja, é necessário tempo para que as cotações subam. Além disso, se estiver sempre a fazer trading vai ser sufocado pelas altas comissões de corretagem.

 

  1. Não ter em conta a paridade risco-retorno

Quando se investe num ativo com risco, o retorno potencial deve ser analisado tendo em conta o risco que se corre. Um ativo de maior risco deve ter um retorno potencial maior para que seja interessante do ponto de vista financeiro. O contrário também se verifica, ou seja, um ativo com menor risco precisa de um retorno potencial menor para ser considerado de interesse.

Se assumir demasiados riscos isso pode ter consequências imprevisíveis, muitas das quais fora da sua zona de conforto. Se, por outro lado, assumir poucos riscos, pode ter um retorno demasiado baixo para conseguir alcançar os objetivos traçados no seu plano.

Tenha em conta qual o seu nível de capacidade financeira (o ponto até o qual pode aceitar perdas) e emocional para poder definir uma estratégia que lhe permita cumprir os objetivos do seu plano financeiro.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *